"Pelos frutos conhecereis a árvore"

Com alegria, celebramos a festa dos pais de Nossa Senhora: São Joaquim e Sant”ana. A piedosa esposa de Joaquim, após longa esterilidade obteve do Senhor o nascimento de Maria, que aos três anos levou ao Templo, deixando-a ao serviço divino, cumprindo o voto feito., onde foi educada, ficando aí até ao tempo do noivado com São José.

A data do nascimento e morte de ambos não possuímos, mas sabemos que vivem no coração da Igreja e nesta são cultuados desde o século VI. A festa de São Joaquim e Sant”ana os dois santos eram comemorados separadamente: santa Ana a 25 de Julho pelos gregos e no dia seguinte pelos latinos. Em 1584 também São Joaquim achou espaço no calendário litúrgico, para depois reunir-se com a santa esposa no novo calendário litúrgico, no dia 26 de julho. 

A data do nascimento e morte de ambos não possuímos, mas sabemos que vivem no coração da Igreja "Pelos frutos conhecereis a árvore", disse Jesus no Evangelho. Nós conhecemos a flor e o fruto suavíssimo vindo da velha planta: a Virgem Imaculada, isenta do pecado de origem desde o primeiro instante de sua concepção. 

Pela santidade do fruto, Maria, deduzimos a santidade dos pais, Ana e Joaquim.

Ó beatíssimos pais da mãe de Deus,
são Joaquim e sant´Ana,
eu vos saúdo e bendigo
com devoção e amor.

Alegro-me de todo o coração
pela vossa glória e
por aquela sublime prerrogativa
pela qual Deus vos escolheu
para serdes os pais da mãe de Deus,
Maria santíssima.

Rogai por mim a Jesus e a Maria
para que eu lhes agrade em tudo.

Tende piedade de mim
como os pais têm de seus filhos.
Sede meus consoladores na vida e na morte.

Assisti-me na minha última agonia,
para que dignamente receba
os santos sacramentos da Igreja e,
partindo deste mundo
com o coração contrito,
possa chegar ao céu.

Amém.

Sant'Ana e São Joaquim...rogai por nós! 

Fonte: Canção Nova
Leia mais...

SENHORA SANT'ANA

Deus encheu de dons a Sant'Ana e a seu esposo São Joaquim, pois são aqueles que na história da Salvação deviam ser os agentes para gerar a obra-prima da graça divina que foi Maria Santíssima. Sant'Ana recebe um culto especial entre os santos, pois colaborou com o plano de Deus ao educar sua Filha, na obra do Espírito Santo, para fazer frutificar os dons maravilhosos postos por Ele na alma da futura Mãe do Senhor. Foi no seu ventre que Deus predestinou Maria a tornar-se a Mãe do seu Filho, salvação dos pecadores.

Ao louvar Sant'Ana nos colocamos sob a sua proteção e nos inspiramos nela como modelo para as nossas vidas. A Festa de Sant'Ana que comemoramos de 17 a 25 de julho com o Novenário e dia 26 de julho a Festa e Procissão, é sempre um momento especial que favorece a reflexão e fortalece a fé cristã.

Sendo Padroeira de nosso Município, este louvor de Sant'Ana é mais do que a festa de uma paróquia, mas deve reunir todos os seus filhos em uma grande celebração de fé e gratidão por Ela, que intercede por nós perante Cristo.

ORAÇÃO A SENHORA SANT'ANA

Mãe da Mãe de Jesus, ó Sant'Ana, que recebestes de Deus a bênção prometida a todos os povos, abençoai as nossas famílias, fortalecei o laço de amor que as une e dai-lhes a graça de crescerem na fé, no perdão e na oração.

Livrai-nos, ó gloriosa Sant'Ana, de todos os males e guiai os nossos passos para sempre percorrermos os caminhos do Senhor e vivermos as lições que o evangelho nos ensina.

A Vós, ó Senhora, confiamos a grande família que é a nossa Paróquia de Simão Dias Ajudai nos a caminhar unidos, porque somos todos irmãos. Amém!
Fonte: http://www.catedraldesantana.com.br/

Clique em Capela Virtual e deixe seu pedido de oração, estaremos rezando por você.

Aderaldo Mattos - Grupo Soldados de Cristo
Leia mais...

Nossa Excelsa Padroeira

Altar central da Matriz de Senhora Sant’Ana
É maravilhosos ter Sant’Ana como nossa Excelsa Padroeira. Participar da festa comemorada todos os anos no dia 26 de julho, onde o povo, ao longo de mais de cem anos vem demonstrando fé, devoção e muito amor aquela que foi e que é a mãe da mãe do Salvador, avó de Jesus Cristo.

Realmente, não encontramos nos evangelhos nenhuma referencia a mãe da Santíssima Virgem, tomamos por base o proto-evangelho apócrifo atribuído a são Tiago e outros monumentos que revelam algo a respeito de Joaquim e Sant'Ana. A palavra Ana significa criatura cheia de graça e desta graça nasce Maria, a mãe de Jesus, ambos frutos de Sant’Ana, isto justifica as homenagens que fazemos a nossa avó maior.

Em obediência a Igreja, desde o ano de 1378, o papa Urbano VI, permitiu aos católicos o culto público a Sant’Ana, o então papa Gregório XIII por bula de 1º de maio de 1584 instituiu e fixou em 26 de julho o dia dedicado a ela. Versões vistas afirmam que Joaquim e Sant’Ana eram venerados pelos fieis desde os primeiros séculos da igreja, a história também nos mostra que o imperador Justiniano I no ano de 550 construiu em Constantinopla a primeira igreja sobre a invocação e homenagem a Senhora Sant’Ana.

Graças a Deus nossa cidade recebeu o titulo oficial de Excelsa padroeira SENHORA SANT’ANA conferido pela Igreja. “Que, cada mulher de Simão Dias, busque se tornar uma nova Ana " criatura cheia de graça” com as virtudes desta que gerou a mãe do Salvador.

Luci Vânia de Santana Matos e Passos - Pastoral do Menor - Paroquia Sra. Sant'Ana - Simão Dias/Se

Fonte: http://pastoraldomenorsd.blogspot.com/
Leia mais...

Convite!!!


O Grupo Soldados de Cristo convida você e sua família para participar neste domingo (23/03) de um dia de Evangelização e Louvor que será realizada no Santuário Diocesano da Misericórdia: Santa Cruz do Serrote, Povoado Tinguí, município de Sitio do Quinto/BA. Sairá um ônibus do Bairro Bomfim de Baixo as 5h e 30min passando pelo conjunto Pedro Valadares e em frente a Igreja Matriz de Senhora Sant'Ana.

Grupo de Evangelização Soldados de Cristo, “A serviço da Palavra”.
Leia mais...

Perfeitos como o Pai do Céu


Caríssimos irmãos no Senhor, mais uma vez estamos reunidos para a santa Eucaristia dominical, na qual encontramos o Ressuscitado, alimentamo-nos da Sua palavra e nutrimo-nos do Seu Corpo sagrado. Com efeito, Ele está conosco, Ele nos fala, Ele se dá a nós totalmente! Ouvir o Senhor, alimentar-se Dele – estai atentos! -, significa abrir-se para Ele porque Nele cremos. É isto crer, meus caros: viver abertos de verdade para o Senhor, deixando que Ele plasme a nossa vida, ilumine os nossos caminho, vá invadindo e transformando toda a nossa existência.

Se pensarmos bem, é a uma atitude assim que a Palavra de Deus hoje nos convida. O Senhor Deus nos diz: “Sede santos, porque Eu, o Senhor vosso Deus, sou santo”; depois, no Evangelho, insiste: “Sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito!” Em outras palavras: Sede como o vosso Deus, deixai-vos invadir por Ele, transformar por Ele! Deixai que Ele seja o lastro, o alicerce, o fundamento, o rumo da vossa vida! Crer Nele é deixar-se invadir por Ele e ir assumindo Seus sentimentos, Seus pensamentos, Seus desígnios. Observai como na primeira leitura o Senhor Deus afirma: “Eu sou o Senhor!” Se Eu sou o Senhor para vós, sede santos como Eu, tende um coração como o Meu: não guardes ódio no coração, não te vingues, repreende o teu próximo com bom coração, ama de verdade o próximo como a ti mesmo!

Compreendeis, caríssimos? Não podemos dizer que Deus é o Senhor e, ao mesmo tempo, vivermos do nosso modo, como se nós próprios fôssemos o nosso Deus! Alguém que viva do seu modo, seguindo seus próprios critérios, alguém que se julgue o senhor do bem e do mal e veja, analise, julgue e aja de acordo com seus próprios pensamentos, gostos e prioridades, independente da vontade de Deus – e essa vontade de Deus não é teórica, distante, mas nos aparece nas Escrituras interpretadas pela Igreja com a autoridade de Cristo – alguém assim, mesmo que dissesse que acredita, não crê de verdade, não exprime na vida que Deus é seu Senhor! Ah, caríssimos, que há tantos crentes de nome e ateus de vida! Há tantos, como diz o Apóstolo, “que se comportam como inimigos da cruz de Cristo. O seu fim será a perdição; o seu deus, é o ventre; e sua glória, eles a põem na própria ignomínia, já que só levam a peito as coisas da terra” (Fl 3,18-19). Viver na vontade do Senhor, abertos ao Senhor, àquele Deus Santo que Se manifestou como Poder, Santidade, Sabedoria e Salvação na fraqueza, na maldição, na loucura e na perdição da cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo!

A mesma ideia aparece na segunda leitura de hoje: vede como São Paulo nos convida ter plena consciência de que não nos pertencemos: “Irmãos, acaso não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus mora em vós?” Somos santuário de Deus, isto é, somos templo, morada do Seu Santo Espírito, aquele Espírito que Jesus morto e ressuscitado derramou em nossos corações desde o nosso batismo. Então, como poderíamos viver do nosso jeito? Como poderíamos seguir a lógica da moda, da maioria, do mundo atual? Como poderíamos abraçar a louca e tola sabedoria do mundo atual? Que palavras claras e escandalosas as do Apóstolo: “Ninguém se iluda: se algum de vós pensa que é sábio nas coisas deste mundo, reconheça sua insensatez para se tornar sábio de verdade; pois a sabedoria deste mundo é insensatez diante de Deus!” O que significam tais palavras? É preciso deixar nossa lógica mundana para abraçar a lógica de Deus; e esta lógica – nunca esqueçamos, nunca deixemos de repetir - manifestar-se-á sempre e somente na cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo! Era isto que o nosso bendito Salvador dizia no Domingo passado e continua a dizer neste hoje: a nossa religião tem que superar a dos escribas e fariseus! Lembrai-vos de oito dias atrás? “Se a vossa justiça, isto é, se o vosso modo de praticar a religião, de cumprir os preceitos, não for maior que a justiça dos escribas e dos fariseus, vós não entrareis no Reino dos Céus!” Em que nossa prática deve ser maior? No modo de viver a religião: um modo interior, nascido do amor a Deus e aos irmãos; um amor que deixa de verdade Deus entrar, habitar em nós como num templo, nos questionar, nos transformar; uma prática da religião suscitada, sustentada, impulsionada, animada pelo Santo Espírito! Observai, amados no Senhor, como Jesus chama atenção não primeiramente para a letra do preceito, mas para o espírito, a intenção, a motivação com a qual se realiza o preceito: “Ouvistes o que foi dito: olho por olho, dente por dente” – é justo, era a medida da justiça da Lei de Moisés e ainda hoje é a medida de todos os tribunais do mundo. Este preceito não é de vingança; é de justiça: um olho por um olho, um dente por um dente! “Eu, porém, vos digo: não só justiça, mas misericórdia, generosidade, porque vosso Deus é assim!” “Ouvistes o que foi dito: amarás a quem te ama, não tens obrigação para com teus inimigos. Eu, porém vos digo: amai a todos, amai sem esperar recompensa, porque o coração do vosso Pai no céu é assim!” Abri-vos, pois, irmãos meus, abri-vos para Deus, aquele Deus que vos deu tudo quando vos deu o Filho Único, o Amado, até a morte e morte de cruz!

Caríssimos, vivemos num mundo no qual o homem se colocou como o centro. Até mesmo na Igreja há pessoas que pensam num cristianismo à medida do homem e do gosto das modas atuais. Há cristãos, há teólogos que pensam assim: “Se fizermos como o mundo espera, vamos atrair o mundo para a Igreja; se fizermos adaptações no cristianismo e na Igreja ele se tornará atraente...” Não! É Cristo quem atrai, é Cristo crucificado e ressuscitado o critério porque é somente Cristo Quem salva! Não se trata de atrair para a Igreja, mas para o Jesus vivo e verdadeiro, com toda a Sua verdade, com todo o Seu amor, com toda a Sua exigência que nos liberta, nos tira de nós e nos dá a vida em abundância! O resto é pensamento humano, vazio e estéril! Repito, caríssimos: o centro é Cristo Jesus que nos leva ao Pai: é Ele o critério, é Ele a medida, é Ele a única verdade! Quando por ele nos deixamos transformar somos livres de verdade e de verdade damos glória a Deus. Nunca esqueçais, amado meus: “Tudo vos pertence, tudo é vosso, mas vós sois de  Cristo, e Cristo é de Deus”. A Ele a glória pelos séculos. Amém.

Dom Henrique
Leia mais...